“Com base na declaração de Bakthin, pode-se afirmar que ler não é unicamente decodificar os símbolos gráficos, é também interpretar o mundo em que vivemos”. (Patrícia F. Bianchini).



segunda-feira, 24 de julho de 2017

Biografia de Antonio Candido



Biografia de Antonio Candido

Sociólogo e crítico literário brasileiro
  
Por Dilva Frazão

Antonio Candido (1918-2017) foi um sociólogo, crítico literário, ensaísta e professor brasileiro, Prêmio Jabuti (1965), o Prêmio Machado de Assis (1993), o Prêmio Camões (1998) e o Prêmio Alfonso Reyes (2005), no México.

Antonio Candido de Mello e Souza (1918-2017) nasceu no Rio de Janeiro, no dia 24 de julho de 1918. Filho do médico Aristides Candido de Mello e Souza e de Clarisse Tolentino de Mello e Souza, recebeu as primeiras lições em casa, com sua mãe. Ainda criança, mudou-se com a família para a cidade de Poços de Caldas, em Minas Gerais.

Em 1935, já residindo em São Paulo, concluiu o curso secundário no Ginásio Estadual de São João da Boa Vista, no interior do Estado. Entre 1937 e 1938 estudou no curso complementar do Colégio Universitário da Universidade de São Paulo (USP). Nessa época, militava no Grupo Radical de Ação Popular, contra o Estado Novo, no governo de Getúlio Vargas.

Em 1939, com 21 anos, ingressou no curso de Direito da Faculdade de Direito do Largo São Francisco e também no curso de Filosofia na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP. Em 1941, fundou a revista “Clima”, junto com Décio Prado, Paulo Salles e Gilda Rocha (futura Gilda de Mello e Souza), época em que iniciou sua carreira de crítico literário. Concluiu o curso de Filosofia em 1942 e nesse mesmo ano, ingressou no corpo docente da USP, como assistente de ensino do professor Fernando de Azevedo, na cadeira de Sociologia.

Em 1943, Antonio Candido passou a colaborar com o jornal Folha da Manhã. Em 1945 foi aprovado no curso de Literatura Brasileira obtendo o título de livre docente com a tese “Introdução ao Método Crítico de Sílvio Romero”. Em 1954 obteve o grau de doutor em Ciências Sociais com a tese “Os Parceiros do Rio Bonito”, uma abordagem sumária sobre as sociedades tradicionais. A obra foi publicada em 1964. Em 1956 criou o suplemento literário do jornal O Estado de São Paulo.

Entre os anos de 1958 e 1960, lecionou Literatura Brasileira na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Assis, hoje integrada à Universidade Estadual Paulista. Em 1959, publicou “Formação da Literatura Brasileira”, sua obra mais influente. Em 1961 retornou à USP, como professor colaborador da disciplina de Teoria Literária e Literatura Comparada.  A partir de 1974 tornou-se professor titular da mesma universidade.

Entre 1964 e 1966, Antonio Candido lecionou Literatura Brasileira na Universidade de Paris. Em 1968 foi professor visitante de Literatura Brasileira Comparada na Universidade de Yale, Estados Unidos. Aposentou-se em 1978, mas continuou lecionando no curso de pós-graduação até 1992. Em 1980, participou da fundação do Partido dos Trabalhadores. Foi professor-emérito da USP e da UNESP. Recebeu o título Honoris Causa da UNICAMP e da Universidade da República do Uruguai (2005). Foi casado com Gilda de Mello e Souza (1919-2005) professora de Estética da USP, com quem teve três filhos.

Antonio Candido faleceu em São Paulo, no dia 12 de maio de 2017.

Obras de Antonio Candido

Formação da Literatura Brasileira (1959)
Os Parceiros do Rio Bonito (1964)
Literatura e Sociedade (1965)
Vários Escritos (1970)
Presença da Literatura Brasileira (1971)
Na Sala de Aula: Caderno de Análise Literária (1985)
A Educação Pela Noite e Outros Ensaios (1987)
O Discurso e a Cidade (1993)
Estudo Analítico do Poema (1993)
Iniciação à Literatura Brasileira (1997)
O Romantismo no Brasil (2002)
Tempo de Clima (2002)
O Direito à Literatura e Outros Ensaios (2004)
Eça e Machado (2005)

Texto reproduzido do site: ebiografia.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário